1. Ninja (忍者) significa literalmente “Aquele que está escondido”. Eles eram os mestres do disfarce e conseguiam se camuflar facilmente nos ambientes. Também eram chamados de Shinobi (忍び) e além de agentes de espionagem, eram treinados na arte japonesa do ninjutsu, seguindo o seu próprio código de conduta, conhecido como Ninpo.

 

2. O treinamento para ser um ninja não era nada fácil. Através do Ninjutsu, que muitos resumem como um conjunto de técnicas de sobrevivência, os ninjas aprendiam habilidades de guerra, espionagem e ataques de guerrilha. Aprendiam a confeccionar armas e a manusear substâncias químicas, além de estudos de geografia, meteorologia e psicologia. Aprendiam técnicas de fuga e sobrevivência e passavam por treinamentos que testavam seus limites, onde tinham que suportar o calor e o frio, a dor, a sede e a fome.

 

3. Embora tivessem a fama de ladrões e assassinos, os Ninjas tinham a espionagem como sua maior especialidade. Segundo os historiadores, os ninjas da era feudal eram camponeses, especialmente das regiões de Iga e Koga, que adotaram o ninjutsu como forma de lutar contra a opressão dos samurais.

 

4. Havia muitas mulheres treinadas na arte do ninjutsu. Eram chamadas de “kunoichi”, e de acordo com o livro “O Ninja e sua arte de luta secreto”, elas se disfarçavam geralmente como bailarinas ou artistas e poderiam até seduzir seus alvos para obter informações.

 

5. O auge dos ninjas foi entre os séculos 12 e 16, quando havia muitas guerras locais e os ninjas passaram a ser muito valorizados e contratados como assassinos e agentes secretos por senhores feudais, especialmente no período Sengoku (1467-1568), quando o Japão estava envolto em uma guerra civil.

 

6. Os ninjas hoje em dia são retratados no cinema como guerreiros com habilidades excepcionais. Mas antigamente, eles eram considerados a escória da sociedade, por realizarem o trabalho sujo que ninguém queria fazer. Eram contratados especialmente por senhores feudais para espionar, sabotar ou até assassinar seus rivais e inimigos. Não é a toa que no Japão, eles eram popularmente chamados de “shinobi” que significa “roubar”.

 

7. Os ninjas usavam armas como shuriken, tesubishi, tekagi, kusarigama, arco e flecha, tekko kagi, tesubishi, torinoko (bomba de fumaça). Eles também eram habilidosos espadachins. Eles usaram suas armas não apenas para matar, mas também para escalar paredes de pedra, como o “ashiko” (garras usadas nas botas), mas que também era usado para dar chutes mortais. O Shuriken (estrelas de arremesso), um dos arsenais mais famosos nos ninjas, não tinha o propósito de matar, embora funcionasse como uma arma letal. O objetivo principal era somente persuadir ou no máximo ferir o inimigo.

 

8. Andar sobre as águas é uma das grandes lendas que envolvem os ninjas. Mas não se trata de nenhum poder sobrenatural. Na verdade, para se deslizar em pé sobre a água, os ninjas usavam um remo de bambu e o mizugumo (aranha d’água), que eram sapatos especiais feitos de placas de madeira circulares.

 

9. Suas missões eram secretas por isso há muito poucos documentos oficiais detalhando suas atividades, mas o que se sabe é que suas ferramentas e métodos eram passados de pai para filho e por isso as técnicas sobreviveram por várias gerações, embora estejam praticamente em extinção nos dias atuais.

 

10. As tradições e técnicas dos ninjas originais foram passadas de geração em geração e muitas foram esquecidas ao longo dos séculos. Mas Jinichi Kawakami, de Iga, afirma ser último e verdadeiro ninja do Japão. Iniciou aos 6 anos de idade e hoje aos 63 anos de idade, Kawakami é um remanescente do clã Ban, uma linhagem de ninjas com mais de 500 anos de existência. Aos 19 anos, ele herdou o título de mestre, juntamente com pergaminhos secretos e ferramentas especiais. Há 10 anos repassa seus conhecimentos a outras pessoas, mas decidiu não nomear um sucessor pois acredita que as técnicas ninjas não se adequam às necessidades do século 21.

 

fonte

Veja também

Comentários