6

“ Seu número ficará aqui… Apenas não mandarei nenhuma msg…”

A jornalista Ana Prado relatou dia 26/05, em seu Facebook, o ato invasivo que um atendente da Net cometeu. Logo após ter recusado uma oferta da empresa e desligado o telefone, um funcionário da empresa à adicionou no WhatsApp sem permissão.

1

2A jornalista tirou print da conversa!

3E ainda teve que “ouvir” isso: “Nós temos todos os dados dos clientes, caso queira me processar, fique à vontade.”

4

” Seu número ficará aqui… Apenas não mandarei nenhuma msg…”

Ana cobrou uma resposta da NET pelo Twitter

5

Nos comentários da postagem dela, surgiram outras histórias iguais, como a de Rafael, em que foi perguntado por um atendente da Net se ele “assiste pornô”.

6

Ou a de Bárbara, que também compartilhou um print da conversa com o técnico da net.

7

Depois que foram compartilhados esses relatos, ontem dia 28/05, várias outras pessoas compartilharam prints parecidos de problemas semelhantes com funcionários de outras empresas.

8

12

11

10

9

Perguntamos à advogada Andréa Oliveira, que possuí um escritório no sudoeste mineiro, o que esses clientes poderiam fazer com relação a esses problemas relatados.

Ela explicou ao Café Sem Pó que poderia ser feito um Boletim de Ocorrência com as devidas provas, como também cabe processo contra a empresa e o funcionário que cometeu o ato”

Se você passou por algo parecido, conte-nos nos comentários!

fonte 

Fotos/Reprodução
Redação Café Sem Pó

Veja também

Comentários