Os filmes normalmente têm seu próprio compositor, e cabe ao compositor acompanhar as cenas do filme utilizando música.

As cenas a seguir foram feitas ao contrário: a música não acompanha a cena, é a cena que acompanha a música.

Para conseguir um bom resultado na cena você vai precisar de:
1 cineasta ótimo
1 roteirista ótimo
1/2 xícara de farinha
1 música absolutamente incrível
2 ovos
Uma pitada de boa edição
Atores incríveis a gosto

A música e as imagens encaixam tão bem que você vai pensar “sério que essa música não foi feita exclusivamente para o filme?!”
Divirta-se!

 

1- Melancolia
filme: 2011
música: 1857-1859

Esse drama existencialista delicioso foi escrito e dirigido por Lars Von Trier. A trilha sonora do filme todo é unicamente a abertura da ópera Tristão e Isolda, de Richard Wagner. Simplesmente a música mais triste do mundo. É uma música muito boa, meu Deus do céu!

2- O Iluminado
filme: 1980
música: 1936

Dirigido por Stanley Kubrick, este suspense é uma adaptação do livro de Stephen King. Sim, o filme teve seus compositores próprios mas a fama da trilha sonora vem mesmo é da Música para Cordas, Persussão e Celesta, de Béla Bartók.

3- Sonata de Outono
filme: 1978
música: 1835-1839

Mais um drama existencialista delicioso. Escrito e dirigido por Ingmar Bergman, Sonata de Outono atinge seu ápice na cena em que a pianista Charlotte (Ingrid Bergman) toca sua interpretação do Prelúdio no. 2, em lá menor, opus 28, de Frédéric Chopin.

4- Fantasia
filme: 1940
música: 1896–1897

Esse é certamente o melhor exemplo de “a música não acompanha a cena, é a cena que acompanha a música”. Na verdade todas as músicas dessa animação caberiam aqui nessa lista, todas elas ganharam uma animação própria com ótimo encaixe. A animação conta com 8 segmentos de músicas, e o principal deles é O Aprendiz de Feiticeiro, poema sinfônico de Paul Dukas.

 

Redação Café Sem Pó
fotos/reprodução

 

Veja também

Comentários